Sentimentos e Comportamentos

Ações práticas para reforçarmos a empatia nas crianças!

Eu preciso que você entenda uma coisa:

Eu não tenho dúvidas de que você faz o seu melhor e com todo o amor. Caso contrário nem estaria aqui nessa carta!

Mas a questão não é sobre como você os trata, ou sobre quantas coisas você faz por eles, a questão é como eles se sentem!

Vamos tentar olhar pelo ponto de vista das crianças?

Para que fique mais claro, sugiro que façamos agora uma dinâmica:

É preciso que você, aí onde estiver, imagine tudo o que eu vou escrever à seguir, como se estivesse acontecendo com você!

(Antes de mais nada, vou precisar que imagine essa cena em um mundo onde ter 2 esposas é uma prática comum e é legal perante a lei, ok?)

Para não criarmos nenhuma confusão! Rs

Agora, preste atenção nesse vídeo à seguir, respire fundo e faça exatamente o que eu peço no exercício abaixo

Forte, não é?

Minha intenção foi fazer com que pudesse sentir algo bem próximo do que suas crianças provavelmente estão sentindo, de forma prática…

Sua percepção mudou?

ÓTIMO! Esse era o objetivo! 💖

Agora aposto que você consegue enxergar, como pode ser difícil para sua criança, aceitar e conviver diariamente com os irmãos!

Precisamos ter um olhar de amor para essa situação…

E você viu que enquanto o marido negou os sentimentos da esposa, isso só fez piorar o que ela estava sentindo!

Mas quando ele reconheceu e considerou o que ela sentia, aquilo acalmou e trouxe paz.

Então a primeira lição PRÁTICA que deve levar, depois de tudo isso é:

Em vez de negar ou rejeitar os sentimentos negativos, aceite-os!

Aliás, vou aproveitar para frisar uma coisa aqui:

Acredito que todo o sentimento é válido e importante.

Maaaaaas, por questões didáticas, em alguns momentos, eu precisarei me referir a eles como sentimentos positivos e negativos.

Porém, toda a vez que eu falar de sentimento negativo, entenda que não é por estar menosprezando aquele sentimento…

Mas é porque a presença dele, nos faz agir de modo negativo!

Então, voltando aqui para os sentimentos: ACEITE-OS! Ok? 🙂

Em vez de negar ou rejeitar os sentimentos negativos, aceite-os!

“Então é para aceitar que as crianças se batam, Karlinha? 😱”

Não! De jeito nenhum.

Nunca permita isso aí na sua casa! Nossa casa deve ser um lugar onde todos se sintam protegidos.

Aqui, nós estamos falando para todos serem livres, para expressarem seus sentimentos com palavras e para que nós aceitemos cada um desses sentimentos.

Pois como você mesmo viu durante o exercício, fingir que eles não existem, só piora a situação!

Então entenda: Sentir ciúmes, raiva, indiferença, é normal!

Nossas crianças têm o poder de fabricar seus próprios sentimentos e cabe a nós aceitá-los e ensinar a elas que tudo bem sentir cada um deles!

É URGENTE QUE PASSEMOS A ENXERGAR OS SENTIMENTOS DAS NOSSAS CRIANÇAS...

E aliás, de todos ao nosso redor!

O tempo todo nós agimos em cima do comportamento das pessoas! Então é natural que façamos o mesmo com as nossas crianças!

Fazer diferente, vai exigir prática:

Toda a vez que você ver um comportamento positivo ou negativo em suas crianças, olhe para o que está por trás desse comportamento!

Você quer se comunicar de forma eficaz? Quer que as suas crianças se sintam acolhidas e amadas? Então dê valor aos sentimentos delas!

E toda a vez que começar um comportamento inadequado:

01.

RESPIRE

02.

Olha para o que está por trás daquele comportamento

03.

Reconheça o sentimento

Entenda que além de estar acolhendo a sua criança e ajudando-a a se sentir amada, você também estará ensinando à ela, essa grande habilidade: A de valorizar o sentimento do outro.

Uma habilidade que irá ajudá-la em todos os seus relacionamentos! <3

Sua criança sabe se expressar, quando ela está chateada?

E você, adulta? Será que sabe como se expressar, quando está chateada ou com raiva?

Vou te confessar que é um exercício diário e não é mesmo fácil!

Mas agora que você já sabe que a forma com que agimos tem haver com os nossos sentimentos…

Podemos ficar presentes para o fato de que: quando estamos feridos, nós queremos ferir também!

E é aí que mora o grande desafio, que devemos primeiro aprender como fazer, para então sermos capazes de ensinar para nossas crianças:

Como nos expressar quando estamos magoados, sem ferir o outro?

Existe um passo a passo:

01.

Diga o que você está sentindo.

02.

Diga o que você precisa

RECAPTULANDO, ENTÃO:

Meu objetivo até aqui, foi:

Incrível, não é?

Tudo isso faz parte apenas dos ensinamentos práticos, do Módulo 1 do meu curso fechado Irmãos Sem Brigas!

E agora, você tem a chance de avançar como mãe e de aprender mais métodos para se aprofundar no que o seu filho está sentindo e entender o que está por trás de TODOS os comportamentos que eles têm!

A sua chance, com desconto, está aqui: