“Quando eles brigam, no fundo sinto que estou falhando como mãe…”

Entenda porque as crianças brigam tanto entre si e como você pode tirar esse peso dos seus ombros, sem culpa.

mamae-com-barulhos-na-cabeca.png

Quer a segunda criança tenha sido planejada, quer não…

Quer a segunda criança tenha sido planejada, quer não…

Algo que, com certeza não foi planejado é:

Que as crianças quase (literalmente!) “se matassem” quando estão juntas!

Afinal, por mais que a expressão seja forte, quantas vezes poderia ter acontecido algo muito SÉRIO com um deles, se você não estivesse olhando?

São incontáveis as vezes que, mesmo sem querer, os pequenos se colocam em alguma situação de perigo físico…

Sem contar os danos emocionais que estão sempre “rondando” suas crianças, apenas esperando uma palavra sua colocada de mau jeito, ou uma ação feita de maneira impensada, depois que a sua paciência se esgota.

Mães estão sendo vigiadas o tempo INTEIRO.

Os filhos estão comparando o tratamento que eles recebem, com o que é dado para às outras crianças, o tempo TODO. Mesmo que de forma inconsciente…

Mesmo sem sequer saber o significado completo da palavra ciúmes!

Esse é um comportamento instintivo do ser humano. Já nasce conosco e pode ser super alimentado pelo que acontece ao nosso redor, à medida que crescemos…

ou ser um sentimento reconhecido, compreendido e controlado.

Nosso desafio como adultos?

Aprender uma forma de evitar que esse sentimento ruim tome conta dos filhos e faça com que vivam em “pé de guerra”.

Sem surtar durante o processo ou tomar decisões que só reforçam a competição tóxica entre as crianças, ou o sentimento de não pertencimento ou de insuficiência…

Responsáveis por formar adultos com sérios problemas emocionais e psicológicos. Pessoas inseguras e incompletas, pelo resto da vida.

Com certeza absoluta, não é isso que ninguém que ama os filhos quer.

Por isso, se você está aqui, PARABÉNS! 🎉

Acabou de encontrar um conteúdo que funciona de verdade e será capaz de ajudá-lo pra valer.

Porque tem MÉTODO e é PRÁTICO.

Se quiser sair uma referência muito melhor para as crianças, ao final desta carta, muito melhor do que entrou…

Basta continuar aqui comigo, lendo essas palavras que carinhosamente escrevi e comprovar que a promessa é REAL!

Resolveu continuar? ÓTIMO!

Então se ajeite aí na cadeira e esteja com o coração e os olhos bem abertos para o que verá aqui…

Querido leitor,

Se você é mãe, pai, avó ou Educadora infantil…

Eu tenho certeza que já viu esse mesmo filme várias e várias vezes:

O segundo filho vem e a ideia inicial de todo mundo é, naturalmente, que:

Afinal: “Não tem nada tão lindo quanto amor de irmão!”

AHAM. Na teoria é mesmo tudo lindo...

Mas o que acontece na VIDA REAL, é um pouquinho diferente:

E você automaticamente sente uma culpa gigantesca, porque” talvez não esteja cumprindo tão bem o seu papel”

Que atire a primeira pedra quem nunca viveu algo muito parecido, com as próprias crianças…

Por isso eu recebo, todos os dias, perguntas cheias de esperança...

...que lá na frente as coisas melhorem, como essa aqui:

“Mas Karlinha, será que todas essas brigas não são só coisas de criança e tudo vai se resolver quando crescerem?”

E infelizmente, a dura resposta é: Não necessariamente! 💔

Porque já é comprovado que o relacionamento que temos com nossos irmãos desde o princípio, pode ter SIM, um forte impacto em todos os nossos outros relacionamentos ao longo da vida!

E é aí, que agora eu te faço algumas perguntas:

❓🤔 Será que o relacionamento das suas crianças está tendo um impacto positivo ou negativo em suas vidas?

❓🤔 Que sentimentos estão sendo gerados nesse relacionamento entre irmãos?

❓🤔 Sentimentos de amor e alegria, ou ciúmes e raiva?

Acredite: Todos esses sentimentos serão gerados e TUDO BEM!

O que todos precisam entender é que a chave não é evitar ter ou não esses sentimentos, mas como nós os adultos, lidamos com eles…

Às vezes, todos MISTURADOS!

Porque fato é que: Se nós adultos, não soubermos como lidar, esses sentimentos podem arruinar o relacionamento entre as crianças e pior…

Ainda gerar crenças de inferioridade, baixa autoestima, persistindo por toda a vida!

Então se você chegou até aqui, por causa de uma “briguinha ou outra”, querendo achar uma solução, mas talvez pensando que “Pode nem ser pra tanto!”...

Eu PRECISO reforçar:

Não ache que as brigas entre as crianças são um assunto pouco importante!

E acredito que até aqui, você já tenha entendido o recado.

Na próxima página você vai entender PORQUE as crianças brigam tanto e como você pode PARAR de se sentir culpada por isso.

Basta clicar no botão abaixo e seguir à diante, comigo! 👇🏼